Amigas do Peito

Alimentação e cólicas dos bebês

Bebê que chora  muito - IRRITADO

A experiência com a amamentação do ponto de vista natural, deveria ser uma prática bem tranquila e com sucesso.  Acontece que a amamentação não é apenas uma questão natural; é também uma questão emocional e cultural.   Por isso, como qualquer nova experiência requer muita observação, paciência, e persistência. 

Nessa nossa relação com o recém nascido é importante lembrar:

Que tanto mãe e filho estão se adaptando a essa nova realidade.  É um aprendizado para a nova dupla.  Por isso a observação é muito importante,  pois ela dá chance a mãe de, no dia a dia,  conhecer melhor o seu filho, e poder identificar, a partir daí, o por quê do choro do bebê, o por quê da irritação.

E aprender que o bebê chora por várias razões: chora porque está com fome, ou  porque está com sede, ou porque está com sono, ou porque está sentindo dor, ou até mesmo porque está incomodado pelas tensões dentro de casa.  Uma vez que a mãe identifica a causa do choro ela pode lidar melhor com a situação.

Que é preciso apoio - ela precisa ter paciência e, sobretudo, apoio.

Que toda mãe tem leite em quantidade e qualidade suficiente para o seu filho, e que cada criança tem características e ritmos específicos.   (Por isso não se impressione por quanto tempo o seu bebê mama.  O importante é que ele mame leite, não minutos ou hora).

Às vezes atribuímos  o choro do bebê à alimentação da mãe; por isso, na alimentação da mãe, deve prevalecer sempre o bom senso.  Sabemos que uma alimentação saudável, equilibrada e natural é boa para qualquer pessoa.  Devemos sim, ter cuidados com os excessos!  Para sua tranquilidade, saiba que até mesmo mães subnutridas podem amamentar seus filhos.  A mãe pode evitar o uso de muito leite, álcool e substâncias excitantes. As coisas que podem dar gases na mãe podem provocar cólicas nos bebês, mas cada criança é diferente da outra e mesmo irmãos respondem de forma distinta aos estímulos.

Na nossa experiência o que traz mais desconforto ao bebê e que pode provocar cólicas intensas é um ambiente contaminado de adrenalina. Muita gente agitada, muito medo, muito “tem que”, muita pressão,   prejudicam a adaptação familiar.