Amigas do Peito

Quantidade de leite e ganho de peso  ... Diminuição da produção entre as mamadas

BEBÊ MAGRINHO POUCO LEITE?

Você acredita que na natureza as coisas são mal feitas?

Bem, a amamentação tem uma base biológica, afinal somos mamíferos, MAS... As influências culturais, psicológicas, sociais e as pressões do dia a dia, são muito, mas muito fortes mesmo. Elas são capazes de anular a nossa “programação” genética para a produção e liberação de leite.

O nosso corpo produz leite a partir de informações e estímulos que são transmitidos por hormônios.  E os hormônios da amamentação são fabricados a partir de estímulos no bico do peito produzidos pelo bebê mamando!

Vários fatores podem interferir com a produção e liberação do leite. O nervoso, medo, cansaço podem fazer circular, em nosso corpo, uma quantidade grande de adrenalina e atrapalhar a amamentação.  Aí parece que não temos leite, que não conseguimos amamentar e vem choro da criança, da mãe, da família. MAS não precisa ser assim. O leite preso dentro do peito não deixa o bebê engordar.  Bebê que mama só um pouquinho também não engorda.  Para contornar este problema podemos esvaziar o bico e a aréola da mama em que se vai colocar a criança (ver de dicas de ordenha e peito cheio) e deixar que a criança mame o leite que tem mais viscosidade e é mais opaco, o “segundo leite”!

 Leite que  engorda !

O primeiro leite que sai da mama durante a mamada é rico em sais minerais, água, proteínas e açúcares. Depois sai um leite misturado e  então desce o leite mais encorpado, brancacento, mais opaco, que é rico e tudo o que o primeiro leite tem e ainda é cheio de gorduras, que sacia e engorda a criança.

Bebê que não engorda? 

E se dermos primeiro o leite mais gordo? Esvaziando um pouco o peito antes da mamada (uns 20 ml) e dando um peito de cada vez? (para garantir que o bebê esvaziará bem a mama e atinja esse leite).

QUE HÁ COM MEU PEITO?  O leite não sai! 

O nosso corpo produz leite a partir de informações e estímulos que são transmitidos por hormônios. Um deles é a prolactina, que o próprio nome já diz: produz leite. Ele age diretamente nas células da mama fabricando leite. Para o leite ser liberado outro hormônio entra em ação: a ocitocina ... o mesmo que aparece na relação sexual e no parto... e que pode ser relacionado ao amor em sua variadas formas (de casal, de família... ).

É, mas há um detalhe importante: a adrenalina, que é um hormônio relacionado com o medo, susto, ansiedade, é capaz de bloquear a ação da ocitocina!!!  Fecha a saída!!!!!

Daí que muitas vezes temos muito leite e ele não sai ou só sai o que está na “portinha”...

Como resolver isto? Ah, primeiro é ajudando o leite a sair, pois se não sair pode empedrar o peito, doer, e diminuir a produção para evitar estes transtornos (nosso corpo se defende!).  As mesmas dicas para iniciar uma ordenha por peito duro: Uma bacia média com um pouco de água morna no fundo em cima de uma mesa,  a mulher debruçada sobre a bacia, os bicos do peito  (só os bicos) mergulhados neste calorzinho, e um suave balançar das mamas provoca a saída do leite aos poucos, dando um alívio imediato e permitindo uma ordenha manual ou pelo próprio bebê. Liberada a saída, as coisas ficam mais fáceis.

Com o mamilo e a aréola, (parte escura ao redor do bico) liberados e macios, a boca da criança se encaixa direitinho e a amamentação flui. Aí é só deixar os estímulos, produzidos pela boca do bebê mamando, acontecerem. Com tempo, o leite passa a ser produzido durante a mamada, (que nem as lágrimas como diz nossa amiga Zilda, que só saem quando choramos e não ficam presas numa bolsa dentro dos olhos!).

 

 

 Baixa produção 3 meses

 

A Amamentação ia bem,  bebê ganhando seu pesinho e eis que fica irritado, briga com o peito, o peito não fica mais “cheião” e túrgido...Ah... você acha que está secando!

UAU! Apenas está mudando o horário de produção. Já não acontece mais entre as mamadas mas é produzido DURANTE a mamada. Isto é “fisiológico” como diriam os profissionais de saúde...

Sem preocupação, que agora é uma parceria maior entre o bebê e o seu peito. Ele tem que fazer a parte dele, estimular mamando e o peito responde em poucos minutos produzindo. Alguns bebês perdem a paciência no início e se "revoltam"... mas acabam aprendendo lidar com isto e seguem mamando por muito tempo. Outros apenas ficam irritadinhos e zangadinhos mas todos entram no ritmo, até os que passam por isto sem nem dar pela coisa.