Amigas do Peito


Rede Globo - RJ TV - 10/9/2004 - Texto on-line

Sofia, de 9 meses, e Joana, de três, nunca adoeceram e ganham peso a olhos vistos. A razão para tanta saúde? São bebês movidos a leite materno.

“Ela fica confortada, tranqüila, segura e recebendo uma atenção especial”, diz uma mãe.

A recomendação médica é que os bebês sejam amamentados pelo menos até os seis meses de idade. Se passar disso, o lucro é cada vez maior para criança. Lucas, então, completou um ano e oito meses e de todos os alimentos que ele já recebe, o leite da mãe ainda é o preferido.

“Se ele quiser, vai ficar até os dois anos”, orgulha-se a mãe de Lucas.

Nesta sexta-feira, o ministro da Saúde lançou no Rio uma campanha para estimular a amamentação. Os bancos de leite têm sido fundamentais. Eles orientam quem tem dificuldades para dar o peito ao filho. Incentivam a doação de quem tem leite de sobra. Assim, já conseguiram salvar a vida de milhões de bebês internados em UTIs.

“Amamentação é uma questão de cidadania, tantos são os benefícios que o aleitamento materno proporciona”, diz o coordenador do banco de leite, João Aprígio.